setembro 10, 2017

Olá, leitores deste que vocês pensaram ser um blog extinto!

Aqui estou eu, mais uma vez, para lhes informar que não: o blog não acabou. Tenho muitos leitores e leitoras com blog, então suponho que estes devem entender como é difícil manter e atualizar um broguinho. Sim, foram 6 meses longe do meu xodó e 6 meses de aflição porque – acreditem – foi um tortura imensa ficar longe. Durante 5 desses 6 meses, o Chuva de Outubro ficou fora do ar (por falta de pagamento da hospedagem, pois a vida não tá fácil pra ninguém, não é mesmo?) e depois de voltar à rede, eu simplesmente não encontrei motivos nem paixão pra escrever.

Claramente eu estou aqui escrevendo e podemos ter certeza que o blog está ativo. Eu tinha prometido a mim mesma que desta vez não faria um texto explicando a minha ausência por motivos de: já está ficando chato. Mas a verdade é que eu não me senti obrigada a explicar o por quê de eu ter voltado ou o motivo de eu ter sumido, eu me senti obrigada a comentar que, nesses 6 meses, eu ouvi e li muita coisa que me fez pensar como é difícil ser “blogueira” nos dias de hoje.

Sem querer me prolongar muito (mas já me prolongando), eu comecei meu primeiro blog aos 6 anos de idade e desde então os blogs criados são incontáveis. Já tive blog sobre literatura, poesia, tecnologia, fotografia, notícias e tudo o que você pode imaginar. A questão aqui é que eu nunca parei de blogar, ou melhor, eu nunca bloguei por obrigação ou por achar que isso faria de mim uma pessoa mais legal. Eu simplesmente gostava de ter um blog, mesmo que a única leitora fosse eu (o que já aconteceu muitas vezes). Hoje, ser blogger, blogueira(o) ou como você quiser chamar, é um profissão e – por algum motivo que eu ainda não entendi muito bem – confere ao blogueiro um certo “status” inalcançável. Obviamente este não é o meu caso. Tenho poucos leitores fiéis e ainda consigo responder todos por e-mail (o que não é ruim) e estou muito satisfeita até agora.

Onde eu quero chegar com essa conversa toda? Bom, nesses 6 meses eu acompanhei blogueiros e blogueiras de todo tipo. A maioria dos blog de muito sucesso, ou melhor, de muitas visualizações, possui um conteúdo raso e fútil: sem o perdão da palavra mesmo. Claro que estou generalizando. Uma boa parte possui um grande público e ótimo conteúdo, inclusive passei a acompanhar muitos deles. Enquanto isso, o Brasil está cheio de blogues com conteúdo profundo, sincero e muito bem construído que, infelizmente, possui a maioria do seu público limitado em: blogueiros. Isso mesmo, as pessoas querem as ideias mais replicadas e mastigadas o possível e, aparentemente, apenas os outros blogueiros conseguem admirar blogues que são feitos com tanto cuidado e carinho.

É óbvio que eu não estou dizendo que grandes blogs não podem ter qualidade. Mas, muitas vezes, a realidade é que você acompanha um determinado blogueiro apenas pelo seu status e não pelo conteúdo que ele produz. É um pouco triste perceber o destino que os blogs brasileiros estão seguindo. Conlcuindo, a mensagem que eu gostaria de deixar é essa: blogueiro é quem tem blogue e quem produz conteúdo. Mas acima de tudo, parabéns aos blogueiros que permanecem escrevendo e criando, mesmo ouvindo todos os dias que “ser blogueiro é ser fútil” e que “você só criou o blog para tentar ser famoso” e continuam escrevendo porque, afinal de contas, ainda existe gente que bloga por amor. <3

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Textos

Compartilhe este post:

Share Button

Nenhum comentário


Deixe o seu comentário!