Fevereiro 22, 2018

Não espere que haja reciprocidade pra que você faça algo pelo outro. Não meça amor, carinho, vontade.

Não deixe de se doar pelo simples fato de que a outra pessoa, talvez, não consiga se doar o mesmo tanto que você.

Não dependa do sentimento alheio pra viver o seu.

Não entre nesse ciclo vicioso que é “esperar ser amado pra poder amar”.

Faça pelos outros, sem esperar que eles façam o mesmo por você.

Ame, mesmo que você não seja correspondido.

Sentimento não é algo que possa ser negociado.

Sentimento não é moeda de troca.

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Textos

Compartilhe este post:

Share Button

dezembro 28, 2017

Fim de ano sempre faz a gente pensar no que andou fazendo, sentindo, pensando o ano inteiro. O dia 31 sempre é o dia em que você promete pro mundo ou pra você mesmo que algo vai ser diferente. Que você vai mudar, que você vai crescer ou simplesmente desapegar. Pra mim, o ano novo chegou um pouco mais cedo. Foi essa noite, no momento em que eu percebi que eu estava me apegando a algo que nem eu entendia mais o motivo.

Essa noite eu deixei você ir. Não que você precisasse de permissão. Pelo contrário… tenho a impressão de que você já tinha tomado essa decisão sozinho, antes mesmo de eu perceber que você precisava partir. Quando eu percebi, você já não estava mais aqui. Tudo bem, eu demorei um pouco pra entender tudo o que estava acontecendo, mas agora a sua partida não é mais tão assustadora assim. E, pela primeira vez desde que você chegou, eu não espero mais que você volte.

Foi um pouco assustador no início. Pra ser bem sincera, nem parecia real. Eu já tinha me acostumando a te ver ir embora sem avisar e depois voltar como se nada tivesse acontecido. Mas por algum motivo, eu senti que dessa vez eu não ia te ver voltando. Então tudo bem, eu me acostumei. Tive recaídas e machuquei a mim mesma com pensamentos de que tudo não tinha passado de uma coisa da minha cabeça, que você não era real, que esse “nós” nuca existiu. Que você não seria mais meu porque, na verdade, nunca tinha sido.

Até o momento em que eu percebi que nem tudo é como a gente planeja. E não é porque as coisas não tomaram o rumo que eu esperava que o que aconteceu não foi real.

Então essa é a minha expectativa pro ano que está chegando e para todos os que vierem a seguir: aceitar que nem tudo vai ser como a gente espera é que se não for, não significa que não vai ser bom.

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Textos

Compartilhe este post:

Share Button

setembro 19, 2017

Algumas coisas simplesmente não eram pra ser.

Não era pra ser teu abraço. Não era pra ser teu toque.

Não era pra ser a tua ligação no meio da madrugada dizendo que tá com saudades.

Já me convenci que não era pra ser eu o motivo da sua risada, tão pouco a razão da sua dor de cabeça.

Algumas vezes eu menti pra mim mesma, me fazendo acreditar que era pra ser assim.

Mas o tempo passa e de tanto dar de cara com a parede do “não”, eu aceitei que não era pra ser.

Não era pra ser a gente.

Não era pra ser dessa vez.

Não era pra ser desse jeito.

Não era pra ser você.

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Textos

Compartilhe este post:

Share Button

setembro 13, 2017

Local: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura / Caixa Cultural Fortaleza

Brusinha: ZARA

Saia (que na verdade é um vestido): Renner

Sandália: Melissa

 

 

 

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Look

Compartilhe este post:

Share Button

setembro 12, 2017

Sentimentos são extremamente complicados. De sentir, de explicar, de lidar, de entender… Deve ser por isso que existe tanta gente por aí que prefere esconder e enterrar bem fundo. Talvez essa seja mesmo a melhor opção. Até porque sentimentos guiam a outros sentimentos e por mais que você consiga suportar o que você sente agora, quem é que pode prever o que vem a seguir? A gente sempre tem medo do que vem depois, do que está esperando mais adiante. Na maioria das vezes, é algo com o qual não conseguimos lidar. E não tem nada mais assustador que isso.

Se são difíceis de explicar, imagine demonstrar. E como é preciso demonstrar! Palavras nunca são o suficiente na maioria dos casos, no fim o que importa mesmo são as atitudes. Não me entenda mal, eu sempre fui a maior defensora das palavras. Eu realmente acredito na importância e no valor daquilo que é dito, mas às vezes, tudo o que a gente precisa é de uma demonstração, por menor que seja. Ação: é isso que faz com que as palavras se tornem ainda mais verdadeiras. É isso que nos motiva a acreditar nas palavras que ainda estão por vir. E as atitudes, acredite: nos fazem sentir mais seguros em relação aos nossos sentimentos.

Não sou a favor de esconder os sentimentos. Acho que, por muitas vezes, eles são especiais demais para ficaram guardados ou presos dentro de nós. Precisam mesmo de cuidados, de atenção… precisam ser expostos. E se você acha que é bonito falar sobre eles, experimente mostrar!

Postado por:
Maria Helena

Postado em: Textos

Compartilhe este post:

Share Button